saúde sem susto

setembro amarelo, precisamos falar sobre.

o assunto não é fácil, mas até o final do dia 32 brasileiros vão morrer por suicídio.
e enquanto você leu essa matéria pelo menos 100 pessoas atentaram contra a própria vida.

não gostamos de falar sobre coisas chatas e trazer um lado menos positivo para as coisas,
mas a verdade é que precisamos fazer isso. essa é uma questão de saúde pública,
em média 9 em cada dez mortes por suicídio poderiam ser evitadas, em sua grande
maioria são pessoas como eu ou você que passavam por algum transtorno mental
e não receberam ajuda a tempo.

por isso precisamos falar sobre, quebrar tabus e disseminar conhecimento.
veja abaixo como você pode ajudar quem precisa ou até mesmo procurar ajuda,
caso você esteja precisando.

quais são os sinais pra identificar alguém que precisa de ajuda ou corre o risco de suicídio?

existem alguns sinais ou sintomas que podem ser característicos de alguém com um potencial
de praticar suicídio, mas por ser uma “doença” silenciosa, não são possíveis de serem taxados
como claros para a prática.

nosso melhor conselho é se você sentir que alguém que você conheça apresente:

alguma diferença clara e constante no humor, transtornos psiquiátricos, conversas
sobre hipóteses nessa temática ou uma depressão permanente. se mantenha próximo.

o carinho e atenção são cruciais para ajudar uma pessoa com comportamento suicida.
seja sempre calmo, converse com clareza, crie uma corrente de apoio e incentive
essa pessoa a procurar uma ajuda profissional.

o que você não pode fazer? em hipótese nenhuma tá!

jamais, nunca ou em situação nenhuma… nenhuma mesmo, ignore a situação de uma pessoa
com comportamentos e pensamentos suicidas.  não deixe a pessoa sozinha e nunca julgue seus atos.
evite dizer que tudo vai ficar bem ou tente diminuir a dor do próximo, sem agir pra que isso aconteça
de fato. aqui o exercício é de empatia =)

não entre em choque, fique envergonhado ou demonstre pânico, sabemos que não é simples,
mas é importante que você mantenha a calma.  nunca tente resolver essa situação sozinha(o),
procure ajuda imediatamente.

quais são as fontes de apoio?

a família ou amigos são fundamentais para ajudar em todo o processo. Além disso, você pode
encontrar apoio nas unidades de unidades de saúde: CAPS (Centro de Atenção Psicossocial),
Unidades de Saúde da Família, clínicas, consultórios psicológicos, urgências psiquiátricas.

se você precisa de ajuda com alguém ou está passando por uma situação de vulnerabilidade emocional
entre em contato com o centro de apoio emocional: CVV (Centro de Valorização da Vida) clicando aqui.

promete pra gente uma coisa?
não se omita ou deixe de procurar ajuda!

Leave a Reply

%d bloggers like this: